Arredores de condomínio de Bolsonaro se transformam em feira livre

0

Copos e camisetas personalizados com o rosto do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, viraram uma febre em frente ao condomínio onde ele mora, na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro. Vendedores ambulantes se multiplicam a cada minuto no local.

Uma verdadeira feira livre foi montada na vizinhança. Há churrasquinho feito na hora, bebida gelada e salgadinhos. Para os patriotas, bandeira do Brasil e camisas da Seleção Brasileira de Futebol.


O buzinaço de veículos é contínuo em frente ao condomínio. Uma série de atrações tomou conta da Avenida Lúcio Costa, como uma espécie de carro fúnebre que carregava um caixão com faixas, nas quais se lia CUT (Central Única dos Trabalhadores) e PT.

Eleitores do candidato do PT, Fernando Haddad, também apareceram em frente à casa de Bolsonaro. Muitos gritaram “Lula livre”. Um casal mais disposto passou pela multidão vestindo vermelho e defendendo a posição contrária. Foi vaiado, mas não houve tumulto nem violência.

O esquema de segurança fortemente reforçado contou com agentes da guarda municipal, Grupamento Tático Móvel, Polícia Federal, Exército  e segurança particular contratada pelos condomínios. Duas vans e uma camionete do Bope entraram no condomínio por volta das 14h30. Os militares foram aplaudidos pelos simpatizantes do candidato.

  Roberto Campos Neto comandará Banco Central

Visitas

Ainda não há movimentação de assessores e articuladores entrando na residência de Bolsonaro. A expectativa é que integrantes da coordenação de campanha comecem a aparecer por volta das 17h, quando a votação é encerrada em todo o país.

Nesse mesmo horário, a avenida em frente à casa de Bolsonaro será fechada. A Polícia Militar estima a presença de 500 mil eleitores no local.

Edição: Talita Cavalcante