Alunos da rede pública de ensino de Cuiabá participam de exposição e laboratório de invenções

0

Alunos da Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Maria Lucila da Silva Barros visitam nesta sexta-feira (19) a exposição audiovisual ‘Estúdio Casa da Árvore’. Instalada na Galeria Lava Pés, na Secretaria Estadual de Cultura, o espaço cenográfico reconstrói a Casa da Árvore, do longa-metragem ‘O que queremos para o mundo?’, de Igor Amim, que dá nome ao projeto cujo objetivo é estimular a sensibilidade infanto-juvenil a buscar inspiração para um mundo melhor.

Esta é a terceira vez que a iniciativa vem à Cuiabá. “Em 2017 realizamos exibições educativas, formação para professores e trouxemos ferramentas audiovisuais para serem multiplicadas nas escolas. Foi um desafio muito grande, mas também motivador compreender a cultura escolar local e sua potência junto às crianças e jovens. Aprendemos tanto que retomamos este ano com uma formação em Educação Audiovisual para professores e a exposição. Nossa expectativa é grande. Durante a formação conhecemos pessoas motivadas e acreditamos que essa experiência, vivida pelas crianças e sua criatividade junto com a dos educadores irá além das ideias, estimulando ações práticas nas escolas e nas comunidades”, contou Igor Amin, criador e diretor geral do projeto ‘O que queremos para o mundo?’.


Alunos das EMEB’s Ana Tereza Arcos Krause, do bairro Jardim Industriário II, Prof.ª Maria Ambrósio Pommont e Deputado Ulisses Silveira Guimarães também estão participando da iniciativa realizada pela Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Educação em parceria com o projeto ‘O que queremos para o mundo?’, realizado pela Cocriativa, Instituto Mundos, e Energisa, que patrocina o projeto por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

Atividades

O ‘Estúdio Casa da Árvore’ foi construído a partir de materiais sustentáveis para a realização de processos de ensino-aprendizagem.

Durante a visitação, as crianças participam do Jogo dos Mundos, uma brincadeira audiovisual cooperativa, onde os jogadores são desafiados a agirem em cenários socioambientais e tecnológicos do mundo em que vivemos. O jogo propõe missões que aparecem por meio de baralhos divididos em ‘Cartas-Problemas’, ‘Cartas-Desafios’ e ‘Cartas-Inspiração’, que estimulam o sentir, o imaginar, o pensar, o dialogar e o criar.

  Camiseta dos 300 anos assinada por Sérgio K terá venda revertida para ação social da 1ª dama

“Ao final da experiência as crianças criam invenções eco futuristas para solucionar os problemas socioambientais que enfrentamos no presente. As invenções utilizam materiais reaproveitáveis coletados pelas escolas”, explicou Igor.

As mais de dez escolas da rede pública de ensino estadual e municipal que estão visitando a exposição foram selecionadas de acordo com os educadores que se candidataram para fazer parte da Formação em Educação Audiovisual que aconteceu em agosto deste ano em Cuiabá. Na formação foram utilizadas diversas ferramentas tecnológicas e de imagem para trabalhar a imaginação, o pensamento crítico e a consciência socioambiental, capaz de estimular a construção de identidades plurais nos contextos infanto-juvenis.

A professora de Educação Física Ohana Alves Medeiros, da EMEB Ana Tereza Arcos Krauze, participou da formação. “Como o curso é voltado para as tecnologias audiovisuais, abre um leque de novas possibilidades para que possamos utilizar esses mecanismos em sala de aula, motivando os alunos cada vez mais a discutirem os temas que estão no seu cotidiano. Isso contribui para que tenhamos estudantes mais críticos, conscientes e empreendedores. Afinal, essas novas tecnologias fazem parte da do dia a dia deles então, nada mais natural do que trazer esse universo de possibilidades para o espaço pedagógico”, destacou.

As alunas Kauany Vantiele Neves de Oliveira, Maiara Dorileo Corte e Katiele Aparecida Souza Soares todas do 5º ano da EMEB Ana Tereza Arcos Krauze gostaram da experiência.

“É bem legal porque falamos sobre várias coisas, como meio ambiente, tecnologia e inventamos um equipamento para usar a água e não desperdiçar”, disse Kauany que pretende ser ambientalista.  As amigas Maiara e Katiele também gostaram da experiência, e disseram que vão levar essa vivência para a sala de aula.

 

Serviço

Exposição audiovisual “Estúdio Casa da Árvore”

Data:  18, 19 e 26/10

Local: Galeria Lava Pés, na Secretaria Estadual de Cultura, Avenida José Milton de Figueiredo, nº 510, bairro Duque de Caxias.

 

 

 






| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui