Em meio ao turbilhão de acontecimentos, paralelo ao frenesi dos assuntos factuais está o atemporal agronegócio e suas importantes alegrias ao país.

Pérsio Oliveira Landim, advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT)

O agro é essencial não só em termos de participação no Produto Interno Bruto (PIB) e geração de empregos, mas também, rende saldos positivos na balança comercial.


A segurança climática oferecida pelo estado de Mato Grosso impressiona, assim, como todos os números envoltos pelo protagonismo junto ao agro brasileiro.

Os caminhos pelos quais transita deixa o país com sua grandeza ao olhar do estrangeiro apreciando tamanha sofisticação e tecnologia, respeito conquistado pelos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), um bloco com capacidade distinta, que tem mais a surpreender do que o cenário traçado pela Europa e o autossuficiente império norte-americano.

No plano macro é necessário dinâmica sobre os principais problemas enfrentados no setor e uma visão abrangente sobre o funcionamento dos sistemas agroindustriais na relação e conceituação dos negócios jurídicos realizados dentro desse amplo contexto.

Um país competitivo precisa refletir sobre os aspectos de conceitos que representam sua moderna atividade, suas características na integração das atividades econômicas que vão desde o fornecimento de insumos da produção, industrialização, armazenamento, comercialização e logística.

Os planos de governos demandam grafias técnicas, especializadas, num conjunto de instrumentos para uma participação mais efetiva e uma interpretação mais clara de todo contexto negocial e legal.

Sendo necessário perícia e destreza na ampla retórica do debate ao abordar do cultivo aos principais riscos jurídicos e econômicos relacionados às operações dos mercados do agronegócio, compreendendo questões ambientais, de propriedades intelectuais e tributárias.

O conhecimento empírico não pode pairar o setor que alimenta o mundo e nutre nossa economia. Na judicialização das questões referentes ao agro e nas barreiras protecionistas que atrofiam nossa competitividade é preciso integrar os operadores do Direito ao planejamento da indústria Brasil que precisamos – levando em consideração os fatores internos e externos.

Mato Grosso desempenha o papel de arquiteto do agronegócio brasileiro, ajudando o país estabelecer sua economia. A paisagem econômica tornou-se diversificada, com um mix de mercados produzindo uma ampla gama de atividades de maior valor agregado.

O Brasil é uma vitrine no campo macro do agrobusiness mundial. Tamanha projeção deixa evidente o cuidado que o novo governo deverá ter com o setor e com seus fomentadores: os produtores. Classe que merece toda atenção, digna do protagonismo que exerce junto ao fortalecimento e estabilidade econômica do país.

Crédito: Pérsio Oliveira Landim, advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT)





| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui