Número de negros na Câmara cresce, mas não chega a um quarto do total

0

Dos 513 deputados eleitos no último domingo (7), apenas 125 se declaram negros. De acordo com levantamento da Câmara, o número de parlamentares negros cresceu quase 5% em relação a 2014, quando os eleitos totalizavam 106 parlamentares. Ainda assim, a representatividade continua baixa: 75% declaram a cor branca, enquanto pardos e pretos totalizam pouco mais de 20%. Ainda há parcela menor ocupada por amarelos (0,389%) e indígena (0,19%).

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 54% da população brasileira é formada por negros (soma de pretos e pardos).

Candidaturas negras

De um total de 442 candidatos a deputado federal em todo o país que se declararam pretos, apenas 21 conseguiram se eleger. Com cinco nomes ligados ao PSD, PHS, Avante, PRB e PT, o estado da Bahia despontou como o que mais contribuiu para aumentar essa representatividade na Câmara dos Deputados. O Rio de Janeiro elegeu seis candidatos que se autodeclararam pretos. A Bahia também lidera o número de pardos eleitos como deputados federais. Entre os 104 nomes que garantiram essa vaga, 13 foram escolhidos pelos baianos.

  Arquivistas defendem política para o setor

Senado

Do total de 32 senadores eleitos no último domingo, 14 se declaram negros. A Casa é composta por 81 parlamentares e disse não ter um levantamento oficial a respeito da declaração de cor dos senadores que foram escolhidos no pleito anterior.

Para o Senado, dos 35 candidatos que se declararam pretos, apenas três foram eleitos: Weverton (PDT-MA), Mecias de Jesus (PRB-RR) e Paulo Paim (PT-RS) que se reelegeu para mais um mandato. Entre pardos, 75 se candidataram ao Senado e apenas 11 se elegeram por Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Sergipe.

Edição: Lílian Beraldo