Deputado de MT é contra aumento de impostos para o setor frigorífico

Isso porque a pecuária é considerada fundamental para diversos segmentos e regiões, inclusive o Vale do Rio Cuiabá, onde o comércio da carne é secular

0

Na última quarta-feira (12), durante a sessão plenária, o aumento de impostos para o setor frigorífico veio à pauta entre os parlamentares. A manifestação foi feita pelo deputado Allan Kardec (PDT) diante das propostas que preveem alteração no Fundo de Equilíbrio Fiscal (FEEF).
A cadeia produtiva do gado, de acordo com o exposto, vem sofrendo com o incentivo para a venda do boi vivo, o que agrava a economia de Mato Grosso. Por isso a iniciativa de incentivar a cria, recria, abate e desossa dentro do estado. Com o novo aumento, a cadeia produtiva ficaria prejudicada, bem como a ação se refletiria indiretamente em toda a economia estadual. Isso porque a pecuária é considerada fundamental para diversos segmentos e regiões, inclusive o Vale do Rio Cuiabá, onde o comércio da carne é secular.
O aumento está previsto em três projetos. De autoria de lideranças partidárias, alteram o FEEF prevendo contrapartida pela fruição do crédito presumido do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) para os estabelecimentos mato-grossenses que promoverem saídas de carnes e miudezas comestíveis. Esses contribuintes deverão recolher 0,45%, 2%, 1,75% ou 0,40% do valor, dependendo da respectiva operação.

  Bolsonaro diz que não haverá "cavalo de pau" na economia se eleito