'Setembro Amarelo'
Plano Estadual de Combate ao Suicídio é destacado em ‘Setembro Amarelo’
Publicado em 08/09/2018 às 06:40 | REDAÇÃO
+ -



Foto: Marcos Lopes / Secretaria de Comunicação Social


Há três anos, o mês de setembro ganhou uma cor específica para marcar a Campanha Internacional de Combate ao Suicídio e Valorização da Vida. O “Setembro Amarelo” foi uma iniciativa  do Centro de Valorização da Vida, que ganhou adeptos nas iniciativas pública e privada, com o intuito de trazer o diálogo à sociedade. É um mês que busca criar conversas sobre o tema e deixar as pessoas que sofrem com pensamentos suicidas saberem que elas não estão sozinhas e que a morte não é solução.

Mato Grosso é um dos estados pioneiros em institucionalizar a campanha, por meio da Lei nº 10.598, de 26 de setembro de 2017-  com o Plano Estadual de Combate ao Suicídio. Desde 2015, busca-se a conscientização e prevenção ao ato, que acomete crianças, jovens e adultos. Durante o período, escolas e  repartições públicas de Mato Grosso promovem palestras direcionadas aos profissionais de saúde com o objetivo de capacitá-los para identificação de possíveis pacientes que se enquadrem no perfil. Também estão previstas exposições com cartazes que explicitem eventuais sintomas sobre os aspectos do comportamento doente. O plano estadual congrega profissionais engajados em tratar o transtorno mental ou psicológico, que pode incluir depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia, alcoolismo e uso/abuso de drogas.

De acordo com a psicóloga Cristiane Ferreira, os sentimentos de angústia e dor estão entre as prinicipais causas de suicídio. Para o tratamento, a profissional reitera a necessidade de acompanhamento psicológico. A angústia, segundo Ferreira, é o sentimento mais primitivo do ser humano, caracterizado pela sensação de sufocamento, dor no peito, sentimento de ansiedade, de falta, carência, aflição e insegurança. Já a tristeza profunda é incapacitante no ser humano e pode levar a quadros de depressão.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que no mundo todo, aproximadamente, uma pessoa se mata a cada 40 segundos. Só no Brasil, o suicídio é a quarta causa mais comum de morte de jovens. O assunto é um tabu.  Dos casos registrados, 90%  poderiam ser evitados com ajuda psicológica. A maioria deles é causada por doenças mentais que não são tratadas porque muita gente nem sabe que precisa de tratamento. Aproximadamente 60% das pessoas que morrem por suicídio não buscam ajuda.

Sobre o CVV 

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de utilidade pública federal em 1973, que presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo.

Em Cuiabá, o CVV atende 24h pelos telefones 188 (Cuiabá e Várzea Grande) ou (65) 3321-4111 (interior). Eles fazem também atendimento pessoal na Rua Comandante Costa, 296, das 8h às 18h.






Os comentários estão desativados.