Sachetti vai ao Senado na chapa de Wellington

Preferido por Mauro Mendes, deputado federal Adilton Sachetti vai disputar eleição ao lado de Wellington Fagundes

0

Eleições em Mato Grosso:  O deputado federal Adilton Sachetti (PRB) irá disputar a eleição ao Senado Federal pela chapa encabeçada pelo senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao Governo do Estado no pleito de outubro deste ano.
 
Após ter sido preterido pela segunda vez no grupo que defende a pré-candidatura do ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM), o parlamentar se aproximou do republicano em busca de espaço na chapa majoritária.
 

“Temos conversado muito com o senador Wellington Fagundes sobre a possibilidade de caminharmos juntos na política neste ano. Nossa conversa tem avançado muito e nesta semana devemos concretizar”, disse ontem o deputado em entrevista à Rádio Capital.

 

Apesar de ter participado da construção do projeto envolvendo a eventual candidatura do democrata, Sachetti afirma que foi bem recebido por Fagundes, e que esta aliança deve ser consolidada no decorrer desta semana, antes das convenções partidárias.
 
Vale lembrar que, dias atrás o parlamentar estava tentando viabilizar a sua pré-candidato ao Senado na chapa encabeçada pelo governador Pedro Taques (PSDB), que irá a reeleição neste ano. Na coligação tucana o deputado tinha a possibilidade, inclusive, de compor como vice.
 
Essa, inclusive, era a vontade do chefe do Executivo Estadual. No entanto, Taques também garantiu a ele vaga para disputar o Senado em sua chapa, caso ele não aceitasse o convite para ser vice. Neste caso, a juíza aposentada Selma Rosane de Arruda recuaria da disputa ao Senado para compor como vice do governador, abrindo assim, espaço para Sachetti.
 
As negociações envolvendo o grupo tucano estavam avançadas, mas o parlamentar optou por atender um apelo do deputado estadual Zeca Viana (PDT), e do ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT), e permaneceu no grupo de Mendes.
 
Apesar de todo o esforço para viabilizar o seu projeto no chapa democrata, Sachetti foi preterido pelo ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), o que fez com que ele deixasse definitivamente o arco de alianças democrata.
 

“Estava trabalhando na construção de um projeto em um grupo, que não se consolidou por alguns motivos. Fico muito feliz e agradecido em ver que as portas de outros grupos se mantiveram abertas para mim. As minas condicionantes foram aceitas pelo grupo do Wellington e as dele aceitas por nós. Então, vamos juntar as forças nesta eleição”, explica.
 

De acordo com ele, resta apenas uns detalhes sobre chapas proporcionais para serem acertados antes de oficializarem a aliança. “Eu não sou sozinho, eu tenho um partido e nós temos candidatos a deputado estadual e federal. Então, temos que compor com outros partidos para termos chances de eleger deputados”, frisou.
 
No que diz respeito a outra vaga de senador na chapa encabeçada por Fagundes, o deputado federal afirma que ainda não há definição. Entre os cotados estão o senador José Medeiros (Podemos) e a ex-reitora da UFMT, Marica Lucia Cavalli, que inclusive foi lançada como pré-candidato dias atrás. “Existem pessoas cotadas, mas Wellington ainda está conversando e decidindo isso“, finalizou.
 

  PF indicia Temer e mais dez em inquérito sobre Decreto dos Portos




| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui