RJ perdeu mais de 500 mil vagas de emprego desde 2014

Estado perdeu o equivalente a todos os empregos com carteira assinada que existem em quatro estados do Norte do país juntos. Mesmo com números negativos, economista ouvido pelo RJ2 aponta sinais de leve recuperação.

0

O estado do Rio de Janeiro perdeu 523 mil vagas de emprego nos últimos quatro anos. Em 2014, antes da crise, o Rio tinha quase 3,8 milhões de pessoas trabalhando com carteira assinada. Deste total, o número de oportunidades formais de emprego caiu 13,4%. Os números são do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho.

O Rio perdeu o equivalente a todos os empregos com carteira assinada que existem no Amazonas, no Acre, em Roraima e no Amapá juntos. Pelas ruas da capital do estado, há muitas lojas de portas fechadas, placas de aluga-se e o número de vendedores ambulantes impressiona, como mostrou o RJ2 nesta segunda-feira (30).


Apesar dos dados, um economista ouvido pelo RJTV disse que alguns sinais de recuperação indicam que o pior momento pode ter ficado para trás. Segundo ele, quase 400 mil novas vagas foram criadas no Brasil no primeiro semestre, mas o estado do Rio perdeu sete mil vagas no primeiro semestre de 2018. O pior ano foi em 2016.

Em alguns municípios como Macaé, na Região dos Lagos e Campos dos Goitacazes, no Norte Fluminense, é possível encontrar sinais de recuperação.

No entanto, a maioria está na situação da carioca Luciana Silva. Ela tinha carteira assinada e ficou desempregada e por isso ela começou a vender água e refrigerantes na informalidade. Ela conta que precisa trabalhar longas jornadas para ganhar o mínimo para se sustentar.

“No verão tiro mais. Mas com esse clima meio frio, meio calor, consigo R$ 30 ou R$ 40 de lucro por dia”, disse Luciana.

Em 2015, o número de trabalhadores contratados com carteira assinada no Rio foi bem menor que o número de demitidos. Ao todo, 183 mil vagas desapareceram. Em 2016, 240 mil vagas sumiram e outras 92 mil em 2017.


| deixe sua opinião |

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui