DINHEIRO PÚBLICO
Senadores de MT gastam R$ 1,1 milhão com despesas parlamentares
As maiores despesas dos parlamentares foram com aluguel de imóvel para escritório político, divulgação de atividade parlamentar, passagens aéreas e locomoção e hospedagem.
Publicado em 12/02/2018 às 09:44 | CAROL SANFORD - REPORTER MT
+ -



Os três senadores mato-grossenses gastaram R$ 237,9 mil em somente passagens durante o ano de 2017.

 

Os senadores mato-grossenses gastaram R$ 1,1 milhão da cota parlamentar durante o ano de 2017. As maiores despesas dos parlamentares foram com aluguel de imóvel para escritório político, divulgação de atividade parlamentar, passagens aéreas e locomoção e hospedagem.

 

O senador do Podemos, José Medeiros, teve despesas na ordem de R$ 420,2 mil. A divulgação da atividade parlamentar custou R$ 104,8 mil aos cofres do Senado. Já com locomoção, hospedagem, alimentação e combustíveis, o senador gastou R$ 96,6 mil.

 

Medeiros também teve despesas com contratação de serviços de apoio ao parlamentar, que custaram R$ 74,8 mil ao longo do ano.

 

O senador republicano Wellington Fagundes foi o segundo em maior gasto da cota parlamentar. Entre os meses de janeiro a dezembro do ano passado, ele teve despesas com total de R$ 360,1 mil.

 

Os maiores gastos foram com aluguel de escritório parlamentar (R$ 109,6 mil) e locomoção e hospedagem (R$ 109,5 mil).

 

O senador José Aparecido dos Santos, o Cidinho Santos (PR), usou R$ 352,6 mil da cota parlamentar. Os maiores gastos do republicano foram com aluguel de imóveis para escritório político, sendo um total de R$ 112 mil, e com divulgação da atividade parlamentar, R$ 131,6 mil.

Leia:  MPE requer afastamento cautelar de presidente da Câmara Municipal

 

Passagens aéreas

Os três senadores mato-grossenses gastaram R$ 237,9 mil em somente passagens durante o ano de 2017.

 

Medeiros foi o que mais utilizou a cota parlamentar com a compra de passagens, gastando R$ 109,8 mil. Em segundo lugar, ficou o senador Wellington Fagundes, com gastos da cota parlamentar na compra de passagens, no valor de R$ 71,4 mil.

 

Já Cidinho Santos, utilizou R$ 56,7 mil da cota parlamentar com a compra de passagens.

 





Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Notificar
avatar
wpDiscuz
Senado vota permissão para incluir pessoas em grupos nas redes sociais
Senado vota permissão para incluir pessoas em grupos nas redes sociais
Marabá volta a sofrer com cheias do Tocantins
Assunto Apimentado 005 - Huck é a bola da vez no meio político
Assunto Apimentado 004 - O povo brasileiro está cansado de sustentar incompetentes
Assunto Apimentado 003 - A desfaçatez dos réus candidatos o caso Antônio Joaquim