Mato Grosso,

 

iplabel
   
  Mato Grosso FERROVIA  
 

Em Rondonópolis, ferrovia começa a funcionar em caráter experimental

 
 
 

 

 
[]    
[2]    
 
  Publicado Domingo, 4 de Agosto de 2013, às 08:53 | Victor Cabral RDNEWS  
 
Imprimir   Diminuir texto Aumentar texto
 
 
 
 
 

 Após promessa não cumprida de que o terminal da ferrovia Vicente Vuolo, em Rondonópolis, seria inaugurado em maio, o secretário extraordinário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo, garante que a ferrovia começa a operar neste segundo semestre. Inicialmente será em caráter experimental, mas estará totalmente pronto já para a próxima safra, na qual começa a ser semeada (soja) a partir de setembro e colhida entre dezembro e janeiro.

   O atraso se deu porque o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) não emitiu a licença. O órgão esteve no terminal em julho e apontou algumas “falhas”. De acordo com o secretário, a empresa ALL (América Latina Logística) já encaminhou relatório fotográfico ao Ibama com as melhorias. Com isso, a expectativa do governo do Estado é que a Licença Operacional seja concedida ainda este mês. “A parte da ferrovia em si, dos trilhos, já está liberada, só aguardamos a liberação do terminal”, detalha Vuolo.

   O secretário ressalta que o governo estadual agora foca também, além do trecho entre Rondonópolis e Cuiabá, no projeto Cuiabá e Santarém (PA). A expectativa é que no início de 2014 já se tenha a primeira etapa concluída para se iniciar o processo de licitação do percurso Rondonópolis a Capital. “Ano que vem vamos iniciar as audiências públicas e retomada de subsídio para começar a licitação”.

   A primeira etapa é o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (Evtea), elaborado pela Universidade Federal de Santa Catarina, que já foi contratado. E assim que for entregue ao governo do Estado, em 2014, ai que será iniciada o processo de licitação para contratar a concessionária que irá construir a ferrovia. “Ou seja, o momento agora é de inauguração de Rondonópolis e o foco é Cuiabá”, enfatiza o secretário.

   São 260 km da ferrovia no trecho de Alta Araguaia até Rondonópolis. Além do terminal de Rondonópolis há o terminal de Alto Taquari e Itiquira. Hoje a ferrovia, segundo Vuolo, já transporta 12 milhões de toneladas. “Quando chegar a Rondonópolis a expectativa é agregar pelo menos mais quatro milhões”, analisa. O Complexo Intermodal de Rondonópolis ocupa 385 hectares e é considerado o maior da América Latina. A expectativa é que se tenha mais 220 km com a instalação do terminal em Cuiabá.

   Fico

   Para as obras da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), Francisco Vuolo garante que já foram feitas as tomadas de subsídio e que a próxima etapa é a realização de audiência pública, prevista para acontece em setembro. Logo depois entrará a fase de autorização para abertura do edital de licitação do trecho Rondonópolis até Campinápolis, que deve sair ainda neste segundo semestre do ano.

   O secretário ressalta que com a Fico haverá, entre outros benefícios, o escoamento da produção e a carga de retorno. Para Vuolo, Cuiabá terá produtos industrializados, com valores agregados. Ele ainda frisa que uma série de produtos hoje chegam por meio de caminhão.

   Os processos de licitação da Fico foram suspensos em julho de 2011 pelo Tribunal de Contas da União (TCU) devido suspeitas de irregularidades nos preços dos primeiros lotes das obras. Sua extensão é de 900 km entre Campinorte (GO) - onde se integrará à Ferrovia Norte-Sul - e Lucas do Rio Verde (MT), com investimentos de R$ 4,1 bilhões. No entanto, deve ter continuidade e chegar até Vilhena (RO) ao custo de R$ 2,3 bilhões.


 
 
 

  Notícias de Lucas do Rio Verde
 
 
 


cuiaba nao precisa de trem pois nada produs
ttrajano
to vendo que conhece bem cuiabá senhttrajano, é pisso que só tem em seu em torno mais de 1 milhão de habitantes.
ricardo anzil

 PUBLICIDADE

 
 PUBLICIDADE